Criações de Karl Lagerfeld

Karl Lagerfel está por toda parte, inclusive já assinou uma linha para a marca de sapatos Melissa. Porém, o seu maior desafio, o que para ele está longe de ser, é assinar as coleções da casa de moda francesa Chanel. Não é fácil estar a frente de um sucesso deixado por Coco Chanel, apesar de que crítico de moda garantem que se a estilista estivesse viva, faria o mesmo que Lagerfeld. Há bem 26 anos o estilista dirige a empresa, deixando sempre entre as mais elegantes, sofisticadas e tradicionais do mundo.

Conheça um Pouco Mais Sobre a Vida do Estilista Karl Lagerfeld

Karl Lagerfeld  nasceu na cidade de Hamburgo, na Alemanha, no ano de 1938 e sua chegada em Paris foi aos 14 anos. Desde cedo ele foi um apaixonado pela história da arte e pela moda e já, na capital francesa, aprendeu a falar italiano, inglês e francês.

A primeira vez que o nome de Karl Lagerfeld apareceu de forma importante e com destaque foi no ano de 1955, quando ele fez parte de um concurso de modelos de mantôs. Se trata de um casaco como um sobretudo, comprido. Era um prêmio concorrido por novos talentos e ele foi o vencedor por ter apresentado a melhor peça. E no júri que deu o prêmio ao então aspirante a estilista, estavam: Hubert Givenchy e Pierre Cardin. Nesta ocasião, ele foi convidado para trabalhar na casa de costura Bauman. Bastaram 3 anos para que ele fosse promovido a designer chefe da empresa de Jean Patou, e não foi suficiente para o estilista, que acabou assumindo outras grifes ao mesmo tempo.

A partir de 1963, Karl Lagerfeld começou a trabalhar para grife italiana Fendi, como estilista freelancer. Neste época, o uso de pele de animais como esquilo, coelho e toupeira, considerados pouco nobres, foram usados em peças sofisticadas, chamando muito atenção. Com sucesso absoluto, mais uma vez o estilista foi premiado. Daí nasceu um novo convite, em 1979, ele passou a desenhar para a casa de moda francesa Chloé.

Em 1983, já conhecido no mundo da moda e respeitadíssimo, o estilista de origem alemã, foi convidado para retirar da mesmice a grife Chanel. Lagerfeld assumiu a direção criativa da empresa, deixando o mundo da moda em grande alvoroço. O gosto atrevido dele ia em contraste com a simplicidade de Coco. Porém, ele provou mais uma vez a sua superioridade e capacidade de adaptação e criou coleções novas, modernas e frescas, sem perder o DNA da grife, respeitando o estilo da sua criadora Coco Chanel.

Depois de Chanel Lagerfeld Criou a Própria Marca

Acostumado com vários trabalhos simultâneos, Karl Lagerfeld criou a sua própria linha e também fez a “KL”, como segundo linha e por isso, com um preço mais acessível. Sem deixar de lado a supervisão de outras grifes, como a italiana Fendi.

E seus feitos não param por aí, ele já assinou figurinos para o importante teatro de Milão, o Scala e para filmes como “The Sun Also Rises”, “Festa de Babette”, “Le Via Vie” e “O General Le Morte de l’Arme”. Sem falar, que ele ainda encontrou tempo, que chamou de “passatempo” para criar artigos de decoração, fazer fotos e restauração de casarões antigos.

Entre outras marcas que Karl Lagerfeld colaborou estão: Krizia, Ballantyne, Cadette, Charles Jourdan, e Mario Valentino.

As Criações do Estilista nos Anos 80

Nessa época Karl Lagerfeld não está completamente inserido no mundo da moda, mas o seu nome era conhecido. O problema é que ele não assinava ainda uma coleção própria. O estilista dizia que não queria construir o próprio império, o que significa não ter uma grife com o nome. A resistência era para fugir da parte de homens de negócio e ter liberdade para ir de um lugar para o outro. Em uma reunião uma vez ele falou que gostaria somente de criar “ “I just work like this. I have the feeling ­ it may be fake ­ of total freedom. This is my highest luxury.”

Karl Lagerfeld nos Dias Atuais

As criações de Karl Lagerfeld podem ser conferidas atualmente, além da casa de moda francesa Chanel, na sua própria marca, que depois de tanto resistir, ele acabou assinando e mais, para Fendi. Nessa grifes, o seu trabalho não é só o pronto para vestir, mas também as peças de alta costura, inclui também, óculos de sol, perfumes e capacetes. Essa última é uma das suas mais recentes criações, que inclui até mesmo um por i-pod.

Tudo aquilo que faz Lagerfeld é considerado inovativo e único. Ele se diz um estilista que não está agarrado no passado. Gosta de frisar que um designer deve criar e não ficar pensando no que já fez, que segundo ele é “um caixote de lixo”. Aliás, o estilista diz que não guarda nem mesmo um esboço em casa. O estilista afirma que está sempre no presente, procura manter-se atualizado e isso faz com que ele se sinta mais seguro na hora de criar. Além disso, se interessa por arte, cinema, arquitetura, literatura, música, entre outras coisa. Toda a cultura somada, segundo ele, dão uma bagagem para manter viva a criatividade.

As Referências do Passado na Vida de Karl Lagerfeld

Apesar de dizer que tem essa ruptura com o passado e mantém os dois pés no presente, é possível ver algumas particularidades no seu jeito de ser, que têm um pouco de um perfil conservador. Como por exemplo, ele não dirige, não usa celular, prefere falar com o mundo através de um aparelho de fax, não faz uso de drogas e nem fuma e é um amante das obras de Arte Decó.

Na moda atual, com certeza, o estilista alemão é um dos mais bem realizados. Além de assinar coleção para 3 grandes casas de moda, possui a sua própria, com sucesso total. Está fazendo uma boa carreira como fotógrafo, tem uma editora e uma livraria em Paris. Sem falar que possui um museu particular, para guardar os seus móveis.

Chamado de príncipe da moda, ele surpreende sempre com novas parcerias, nocas criações, com a capacidade de manter o DNA de uma marca como é Chanel e ao mesmo tempo assinar a sua coleção tão diferente.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Estilistas

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *