Alta Costura no Brasil

Existe ao redor do mundo inteiro, uma diversidade de estilos de moda, tipos de peça de roupa, de corte e costura e tantos outros detalhes. Se você gosta de ficar por dentro do mundo fashion, conhecer determinados detalhes é importante para que você consiga distinguir com perfeição cada traço e também conhecer um pouco mais sobre cada estilista. Mais abaixo vamos conhecer mais sobre a alta costura no Brasil.

Definição de Alta Costura

O estilo de Alta costura é a produção em pequena escala ou produções únicas de modelos de roupas. Esses modelos são bem exclusivos e a maioria é feito sob encomenda. A palavra vem do francês “haute couture” e já é feito ao redor do mundo há muitos anos. Essas roupas geralmente são muito elegantes com traçados, bordados, pedrarias que fazem da sua roupa algo ainda mais valioso.

Uma peça feita em Alta Costura possui um valor comercial muito elevado, onde peças  chegam a custar até 1 milhão de reais. Segundo pesquisas sobre moda, em 2011, um estilista que estava começando sua carreira na alta costura europeia, não cobrava menos do que 15 mil euros por uma peça desse tipo, isso quando eram modelos apenas com costura. Peças com bordados ou pedrarias não custavam menos de 45 mil euros.

A história da alta costura no mundo começou com Charles Frederick Worth, estilista inglês que realizou a produção de um desfile inteiro em Paris com peças exclusivas, no ano de 1858. Foi Charles também que fez o primeiro desfile utilizando modelos e não cabides, como era feito até aquela época.

Hoje grandes nomes estão com suas maisons de alto costura. Estilistas como Chanel, Christian Dior, Franck Sorbier, Givenchy, Jean Paul Gaultier, Versace, Giorgio Armani, Valentino e muitos outros.

Quando falamos em alta costura hoje em dia, já se incluem outras peças que ajudam a formar o look da mulher ou do homem. Então joias, relógios, sapatos, presilhas de cabelo e tudo o que vai compor o seu visual, que é feito sob encomenda ou comprado como peça única, é chamado também de alta costura.

Alta Costura no Brasil

A alta costura no nosso país ainda está muito pouco desenvolvida e alguns poucos estilistas destinam suas marcas a produção de roupas nesse estilo. Cada estilista possui os seus traços, seus cortes e fazem de suas peças, verdadeiras obras de arte. A falta de conhecimento mundial sobre nossa alta costura se dá mesmo pela falta de visibilidade que o próprio país dispõe, mesmo tendo um estilista muito conhecido em Paris.

Mais abaixo selecionamos dois  estilistas brasileiros que são conhecidos por seus trabalho na alta costura nacional e internacional.

Gustavo Lins

Vamos começar por Gustavo Lins porque hoje, este é  nome de mais referência da Alta Costura brasileira no mundo. Gustavo nasceu em Belo Horizonte, mas mora há mais de 20 anos em Paris, onde trabalha de estilista para a sua própria grife.  O gosto pela moda sempre existiu na vida de Gustavo, mas ele optou por cursar arquitetura na UFMG onde se formou. Com metas para fazer doutorado e durante a sua tese, começou associar a arquitetura com a moda.

Foi assim que Gustavo chegou aos cursos de alfaiataria, onde pode se especializar melhor e aprimorar a sua técnica. Conseguiu a sua primeira oportunidade como estilista na grife de John Galliano, Jean Paul Gaultier e Louis Vuitton até chegar à Kenzo com um cargo fixo na produção de pequenas peças das linhas feminina e masculina.

Depois de adquirir a experiência necessária, Gustavo abriu a sua própria marca, 2003. O Atelier Gustavo Lins, começou com pequenas produções e em 2006 passou a fazer parte da Chambre Sindicale de Haute Couture até que chegou a ocupar um posto oficial, onde permanece até os dias de hoje.

Hoje Gustavo Lins é o único nome de toda a América Latina a compor o corpo de estilistas que se apresenta na Semana de Alta Costura de Paris. Este é inclusive, o evento mais tradicional de moda no mundo inteiro e somente os nomes mais tops da costura é convidado a participar.

Dener Pamplona

Dener Pamplona de Abreu é natural da cidade de Belém do Pará, mas foi morar ainda criança na cidade do Rio de Janeiro com a sua família. O interesse pela moda sempre foi grande na vida de Dener, mas devido às poucas oportunidades que o mercado oferecia na época, o jovem estilista sentia dificuldade em mostrar o seu trabalho para o país.

Percebendo então que tinha um dom mais especial para a alta costura, Dener passou a investir nesse ramo da moda de um jeito bem diferenciado e de bom gosto. Começou a atrair a atenção de empresários e com apenas 12 anos de idade recebeu o seu primeiro convite de trabalho na Casa Canadá, onde permaneceu por muitos anos e onde suas peças são vendidas até os dias de hoje.

Dener teve a oportunidade de desenhar e costurar modelos exclusivos para diversas personalidades como, por exemplo, Maria Teresa Goulart. Já com um nome firmado no Brasil e alguns países da América Latina, passou a integrar o corpo de jurados do programa Flávio Cavalcanti, o que fez com que o seu sucesso aumentasse ainda mais, e as procuras por seus modelos só cresciam também.

Quem vestia modelos criados por Dener, não vestia apenas uma peça exclusiva, mas criações verdadeiramente únicas e que caminhavam entre a extravagância e o luxo com muito bom gosto. Depois de ter seu nome já firmado, Dener passou a participar de diversos concursos de alta costura pelo mundo, chegando a disputar e ganhar um prêmio de Christian Dior, que é até hoje um dos maiores nomes da moda no mundo inteiro. Esse prêmio rendeu a Dener, inclusive, um convite para trabalhar na marca de Dior e substituí-lo após a sua morte, mas o estilista brasileiro negou o convite, preferindo ficar com a sua pequena grife aqui no Brasil.

Mesmo após a sua morte, em 1978, Dener continuou a ter suas peças comercializadas e os seus croquis passaram a valer uma verdadeira fortuna. Até hoje, mais de três décadas depois, estas peças são comercializadas.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Estilistas

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *