Moda e Poder

A indústria da moda é, ao mesmo tempo, o mais visível e o mais negligenciado dos setores culturais. Os shoppings, as ruas, as capas de revista e os programas de televisão estão repletos de informações referentes à moda.

Moda e Poder

Entretanto, enquanto designers, celebridades, publicitários e a maioria dos jovens compreendem o poder persuasivo que a moda tem, a maioria das outras pessoas dão pouca atenção e importância para as tendências de moda e de mercado.

A moda não se resume a roupas penduradas nas araras das lojas ou sendo desfiladas pelas modelos nas passarelas, ela é muito mais do que isso. A moda está carregada de história e características de uma determinada época, região, grupo de pessoas. Uma roupa pode enviar uma série de mensagens. Não é preciso ser um crítico ou estilista para entender isso.

O Poder da Moda na Cultura

A moda ajuda a definir e moldar a cultura popular, que, por sua vez, impulsiona grande parte da cultura de todo um país. Nos últimos anos temos visto inúmeros exemplos da influência exercida pela moda na formação da cultura popular. A televisão e o cinema têm, desde o início, gerado inúmeras tendências de moda.

Além das roupas, o poder da moda se estende ao fato de que, atualmente, os modelos estão deixando de transitar apenas as passarelas e se tornaram apresentadores de televisão, empresários e, até mesmo, atores.

Da mesma forma, as indústrias de música e da moda estão cada vez mais entrelaçadas. Revistas de música como a Rolling Stone passaram a trazer propagandas de moda. Astros da música fazem trabalhos como modelo em campanhas e nas passarelas.

Isso não é algo recente. Em 1986, o Council of Fashion Designers of America deu à MTV um prêmio especial por sua influência na moda. O canal VH1 produz todos os anos o  Vogue Fashion Awards.

O Poder da Moda Entre os Jovens

Como a moda tem crescido cada vez mais entrelaçada com a cultura popular, seu alcance e influência têm se estendido aos consumidores mais jovens. As crianças fornecem um mercado emergente para o mundo da moda, um segmento que prova ser cada vez mais lucrativo.

De acordo com alguns estudos, os gastos diretos com adolescentes e pré-adolescentes triplicaram desde 1990. Em 1998, crianças com menos de doze anos consumiram mais 28 bilhões em roupas.

As crianças são mais suscetíveis à pressão dos modismos do que os adultos. O aumento do consumo de peças de vestuário infantil é um sinal de que a publicidade de moda – e sua presença institucionalizada em grande parte da cultura popular – visará mais e mais esforços de marketing para as crianças.

O Poder da Moda na Política

A crescente influência da indústria da moda a uniu a um mundo até então considerado improvável, o da política. Em 1998, quando as modelos Naomi Campbell e Kate Moss terminaram sua sessão de fotos em Havana, Cuba, elas enviaram um recado para Fidel Castro pedindo uma reunião.

Política

O Poder da Moda na Política

O então presidente cubano encontrou-se com eles por noventa minutos – meia hora mais do que passou com o Papa. Além disso, o principal revolucionário cubano mostrou-se bastante familiarizado com as tendências da moda, felicitando Kate Moss por iniciar uma “revolução” por ter apenas 1,70 metros, uma altura considerada baixa para os padrões das passarelas.

O Poder da Moda na História

A moda é significativa em sua capacidade de refletir e afetar tendências históricas maiores. “A moda é um espelho da história”, declarou Louis IV. David Wolfe, diretor criativo da empresa de consultoria de moda Doneger Group, declarou: “A moda tanto é um antecessor do que aconteceu na sociedade em geral, quanto um preditor do que acontecerá”. Existem inúmeros exemplos que provam isso.

O fim da primeira Guerra Mundial e posterior expansão da riqueza econômica desencadeou uma ousada e cara tendência de moda. Essa época marcou o direito de voto às mulheres, coincidiu com o advento de calças, saias mais curtas, além de roupas mais soltas e cabelos curtos para as mulheres.

O Poder da Moda no Empoderamento Feminino

O encurtamento das saias das mulheres e o advento do vestido de cintura solta (que acabava com a necessidade dos espartilhos) foram veementemente criticados por serem considerados “não femininos”. O papel da mulher na sociedade foi mudando juntamente com o comprimento das roupas e os cortes de cabelo.

As mulheres viram na moda um apoio para suas mudanças de comportamento. Passaram a se sentir livre de espartilhos e sutiãs apertados para usar o peças que representem seu estilo, seus gostos e preferências, sem seguir um padrão pré-determinado pela sociedade.

O Poder da Moda Para Cada Indivíduo

Por fim, mas não menos importante, a moda é uma forma que cada indivíduo pode usar para se expressar. Muitas vezes nem percebemos, mas acabamos escolhendo peças para vestir de acordo com o nosso humor do dia.

Por exemplo: em um dia ensolarado, em que você está alegre e cheio de energia, é bem provável que escolha algo que siga a mesma linha. Da mesma forma acontece em um dia triste e/ou chuvoso, geralmente optamos por algo mais discreto e em tons mais sóbrios. Obviamente, este é apenas um exemplo, uma suposição, e tem exceções. Mas comece a observar no seu humor e compare com o que está vestindo, você verá como isso faz sentido.

O que nós, como sociedade, consideramos atraente e elegante não é algo que deve ser descartado, pois reflete significativamente sobre o que valorizamos, o que consideramos bonito e como desejamos aparecer e ser conhecidos pelos outros. Deixe a moda te ajudar a se expressar para o mundo e divirta-se com ela.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Notícias

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *